Já ouviste falar das metodologias ágeis? A Ofichairs conta-te neste post o que são, quais os tipos que existem e como podes usá-las no dia-a-dia.

Se trabalhas num ambiente de design, escritório ou desenvolvimento de projetos, decerto já terás ouvido falar das “metodologias ágeis”, ou formas de trabalho ágil que constituem uma série de modos e passos a seguir para realizar entregas a tempo, ter o fluxo de trabalho em dia e, definitivamente, ser mais produtivo.

É certo que as metodologias ágeis tiveram o seu auge a partir do desenvolvimento tecnológico, pois à medida que foi chegando a Internet, o telemóvel e o uso de apps, tornou-se cada vez mais necessário manter um ritmo de trabalho constante e elevado, de modo a satisfazer o utilizador final.

Daí a necessidade de gerar fluxos de trabalho estáveis, constantes e úteis, que é o que se consegue ao empregar metodologias ágeis. Algumas foram pensadas para ambientes digitais, mas outras, como Scrum ou Kanban, são aplicáveis em diferentes contextos.

Mas vejamos passo a passo:

O que são as metodologias ágeis?

As metodologias ágeis são formas de trabalho padronizadas, com um protocolo de passo a passo rigoroso onde se procura dividir um projeto em várias partes mais pequenas, de forma a que assim se proporcionem entregas mais rápidas e maior eficiência laboral.

Na realidade, as metodologias ágeis fazem parte de algo chamado “a filosofia ágil” que engloba uma forma distinta de trabalho e de organização. É precisamente uma forma distinta de pensar, com certos aspetos-chave:

  • o utilizador está sempre no centro, e um projeto é abordado não só desde a perspetiva “daquele que paga”, mas também da utilidade que vai ter para a sociedade.
  • é atribuído em função de prioridades, e não de urgências. Este detalhe é importante, pois requer uma organização no sentido em que os aspetos mais importantes a serem solucionados são solucionados sim ou sim, sem serem interrompidos por urgências que percam tempo e valor.
  • a comunicação é vital, tanto com os clientes como entre os próprios trabalhadores. De facto, como veremos mais tarde, em certos métodos ágeis, como Scrum, dá-se o nome de “cerimónias” aos momentos em que a equipa se reúne para falar sobre o que for necessário.

Estes pontos, e muitos mais, são reunidos no famoso “manifesto ágil”, onde também se destacam elementos como a rapidez de entrega, o propósito, etc. O objetivo final de usar este tipo de métodos de trabalho é ser mais produtivo e adaptar-se facilmente à mudança.

Metodologias ágeis: quais são e quais os seus tipos

Tipos de metodologias ágeis

Entrando já em profundidade, apresentamos-te de seguida as metodologias ágeis mais famosas:

Scrum

Esta é a metodologia mais utilizada atualmente, ainda que também uma das mais complicadas.

É constituída, desde o princípio, por uma equipa de trabalho, com um líder de produto, um coordenador e uma equipa de trabalho.

A partir daí, o objetivo é definir desde o princípio o que é necessário fazer com uma lista. Dessa lista, seleciona-se o mais prioritário e seleciona-se um determinado período de tempo para o fazer (nunca ultrapassará as duas semanas). É conhecido como sprint. No dito sprint, não se pode interromper o fluxo de trabalho e não se podem introduzir tarefas novas até que se tenham terminado as designadas para esse período de tempo.

Nesta metodologia dá-se muita à comunicação, de tal maneira que as reuniões de equipa se denominam “cerimónias”, como forma de ressaltar a sua relevância neste método. Assim, estas cerimónias têm lugar tanto antes, como durante e depois de acabar o projeto, fazendo-se um seguimento constante e, se necessário, repensando as prioridades ou as tarefas face ao seguinte sprint a realizar.

A Scrum é mais habitual em contextos com projetos integrais muito grandes, mas pode adaptar-se a muitos âmbitos de trabalho em equipa.

Kanban

A metodologia Kanban, ao contrário da Scrum, é uma das mais fáceis de seguir, inclusivamente se quisermos ser mais produtivos a nível individual, e pode ser perfeitamente utilizada no teu ambiente pessoal.

A Kanban baseia-se num quadro que deves dividir em três partes: tarefas a realizar, em progresso e finalizadas. Isto, claro, é a base, e dependendo da natureza do teu trabalho podes adicionar mais partes. Por exemplo, se te dedicas ao jornalismo podes dividi-lo em:

  • artigos a realizar;
  • investigação;
  • rascunho;
  • correção;
  • publicação.
Metodologias ágeis: quais são e quais os seus tipos

É uma metodologia muito adaptável a vários contextos, apenas tens de pegar em lápis e papel e traçar as tuas três colunas no contexto que necessitas: a nível pessoal, no teu trabalho, para organizar a casa, etc.

A chave está em não deixar demasiadas tarefas na parte de “em progresso” (o ideal é não mais do que três) e que haja um fluxo de atividades constante. O objetivo deste método é precisamente manter um ritmo de trabalho ativo, de tal forma a terminares aquilo que começas. Daí que o quadro seja o formato que se utiliza: se o vires projetado diante de ti, estarás mais propenso a acabar o que começaste.

Design Sprint

Esta é a metodologia empregada pela Google, que basicamente consiste em 5 dias de trabalho intensivo onde se procura abordar um único projeto de forma íntegra, solucionando os seus problemas mais imediatos. Depois desses 5 dias, deve emergir uma proposta ou produto que possa ser utilizado de imediato.

Achaste as metodologias ágeis interessantes? Lembra-te que na Ofichairs somos peritos em cadeiras de escritório, gaming e ergonómicas com o objetivo de contribuir com a nossa parte em contextos produtivos de trabalho.

Visita-nos na nossa página web da Ofichairs e não percas as nossas ofertas!